O QUE EU APRENDI EM 2013…

O ano de 2013, foi para mim um ano muito difícil, porém foi aquilo que Deus me tinha determinado. Durante 3 anos de faculdade sofria por saber que não me identificava com o curso escolhido, só passava nas disciplinas com dificuldade, não tinha interesse em ir as aulas, todo semestre queria trancar o curso e ainda “paguei” uma mesma disciplina específica QUATRO vezes! desacreditada não me via exercendo a função no futuro.

E agora, será que desito? A reviravolta

Há exatamente um ano, durante uma oração, pedi a Deus que me surpreendesse nesse último ano de faculdade. A princípio eu não acreditava muito que eu fosse sentir algo pela minha profissão, e foi aí que eu levei um tapa na cara. Primeiro que nada é por acaso, e se eu estava cursando fisioterapia e meus pais estavam lutando pra eu não desistir (PV 6:20) é porque Deus queria me usar de alguma forma, e eu comecei a perceber nos estágios que Ele tinha/tem uma finalidade com a minha profissão como instrumento evangelístico.

Não sei como, mas meus pacientes olhavam para mim uma vez na vida e começavam a falar de sua vida pessoal sem eu ao menos perguntar, foi quando eu percebi o quanto uma doença torna uma pessoa tão frágil a ponto dela querer saber a opinião de uma estranha, (e por sinal mais nova na maioria das vezes) entendi que eu posso ficar próxima a outros e falar de alguém que verdadeiramente cura, salva e resgata.

O Caminho moldado por Deus

Aprendi no ano que passou a escolher bem minhas amizades, pois elas foram fundamentais (PV 13:20), Deus usou meus amigos e conhecidos para me lembrar o quanto essa profissão é linda. Eram amigos que sempre oravam junto comigo e por mim. Aprendi a me sujeitar a vontade de Deus, buscar mais e confiar nEle de uma forma muito difícil, mas que eu nunca esquecerei, pois o Senhor sempre foi muito fiel (MT 6:33).

Houve um momento em que eu achei que não me formaria, entretanto Deus foi lá e fez o inimaginável, e posso dizer com imensa gratidão a Ele que hoje não me arrependo de ser uma fisioterapeuta. Senti que amadureci espiritualmente em 1 ano aquilo que eu já devia ter mudado em 3, mas tudo isso só foi possível por que eu me sujeitei a viver debaixo a vontade de Deus.Vivi experiências incríveis, na vida pessoal e na vida acadêmica, e me sinto muito feliz.

Gostaria de te dizer que em cada situação difícil que você se encontrar na vida, seja a perda de um ente querido, os pontos que faltam pra você passar, o TCC que não ficou pronto, os pais que não te entendem ou mesmo a dificuldade em se manter fiel a Cristo, lembre-se que pra Ele não importa o tamanho dos nossos problemas, por que ele é o único capaz de solucioná-los, no entanto precisamos confessar nossa total dependência dEle.

Você tem se desafiado assim? já se declarou dependente de Deus? que tal experimentar um pouquinho daquilo que Deus quer pra você?

Feliz Ano Novo e até breve, câmbio e desligo.

 

OPRIMIDOS PELA SOCIEDADE

Toda sociedade impõe aos seus integrantes uma série de regras coercitivas (que são aquelas obrigatórias, se você não as cumprir sofrerá uma pena imposta pelo Estado), mas além destas, nos são impostas também regras de comportamento, as famosas normas e valores morais, que derivam dos costumes, tradições e hábitos, como por exemplo, a disseminação de um padrão de beleza ideal ou a mensagem de que para se ter sucesso, deve ser rico, ter a roupa da moda e o carro do ano.

Se você não cumpre o que a sociedade impõe, ela irá lhe cobrar por isso, e é neste ponto que quero chegar, pois temos um “padrão de perfeição” a ser seguido e se você não o segue é descriminado.

O grande problema (ou a grande solução) é que ninguém é igual a ninguém, e cada um tem seus sonhos, vontades e desejos.  Não dá para as pessoas serem iguais aos personagens de uma determinada novela, ou se vestir como dita a grife tal, ou ter aquela família feliz sem problemas, do comercial de margarina.

Índice

De acordo com a Bíblia DEUS nos criou e toda obra Dele é perfeita! ELE nos ama assim como somos, cada um com seus gostos, sonhos, estilo e personalidade, por isso não devemos nos entristecer por não estarmos enquadrados no atual padrão que a sociedade nos impõe, mas devemos nos alegrar porque DEUS nos criou e nos ama incondicionalmente!!!(amém!!!!!)

Dessa forma, devemos sempre ter em mente a consciência de não nos deixar levar pelos conceitos errados que nos são colocados, mas ao contrário, seguir o que está escrito em 1ª Pedro 1:15-16 :

Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.”

 Resistindo as cobranças

 Além de nos impor um determinado padrão de comportamento, a sociedade também interfe em outras areas de nossa vida, como  a cobrança de se formar uma família, veja bem, não sou contra o casamento, muito pelo contrário, acredito que na hora certa é uma benção, mas casar por casar (ou namorar por namorar) é algo que desagrada a DEUS, afinal, formar família é uma decisão séria e é para a vida inteira ou alguém já viu ex-mãe?, ex-pai?images

Poderia detalhar aqui várias outras cobranças que a sociedade nos coloca e que gera um grande nó na cabeça de alguns. É como um grande buraco que quanto mais se cava, mais aumenta, por exemplo:

  • O que vamos ser quando crescer;
  • Quando vamos passar no vestibular;
  • Quando vamos arrumar um emprego;
  • Quando vamos namorar, casar, ter filhos, netos…

 “ Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1).

Espere em DEUS e no tempo certo as coisas vão acontecer. No entanto, não deixe de fazer a sua parte, porque DEUS é Maravilhoso mas também é Justo, assim, se você deseja passar em determinado vestibular, trate de estudar e se dedicar a este objetivo com afinco. Lembre-se, cada um colhe o que planta.

Esperar em DEUS não é perder tempo, é uma demonstração de fé. Não é simplesmente dizer que espera, mas é não se desesperar diante do passar dos anos enquanto sua resposta não chega.

Provérbios 3: 5-6: “Confie no Senhor de todo o seu coração
e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.”

 

O que está sendo cantado na igreja realmente é uma adoração a Deus?!

Olá amados por Cristo.

Hoje vim para batermos um papo sobre música.

Ahhhh!!! Quem não gosta de música, não é verdade?!

Mas e as músicas que cantam no louvor da sua igreja, você já parou para pensar nelas?

Será que estamos realmente adorando a Deus ou estamos apenas cantando?

De uns tempos para cá tenho feito uma triste observação sobre a música dita gospel, infelizmente ela está cada vez mais comercial e cada vez menos evangelística e adoradora, não quero tecer nenhuma crítica e nem polemizar nada, mas um exemplo claro disso foi o tal “troféu promessas” que a globo transmitiu há um tempo. Infelizmente não pude assistir, mas vi os comentários, algumas cenas, enfim, quer um evento mais “mundanizado” do que aquele? Aí você vai me dizer: “nossa vey, nada haver, ele estavam levando a palavra de Deus através da música”. Tudo bem, até aí eu concordo com você, mas qual a diferença que aquele evento teve de um festival de música qualquer? Nenhum! Teve o prêmio de melhor cantor, melhor cantora, melhor álbum, melhor isso, melhor aquilo.

Louvor a Deus

Louvor a Deus

E na época eu até escrevi um tópico no facebook fazendo o seguinte questionamento: teve votação para todo tipo de categoria, mas faltou a principal: qual cantor ganhou mais almas para Jesus através das suas músicas? Afinal, se o intuito da música gospel é evangelizar, então queremos ver os resultados, não é verdade?! Mas enfim! O fato é que a música gospel está tão comercial hoje em dia, que muitos “artistas” não se preocupam em colocar conteúdo nas letras de suas músicas. Simplesmente criam uma melodia bacana, da moda, que todo mundo curte ouvir e pronto, fez sucesso é o que interessa, a mensagem que a letra da música transmite é o de menos.

Um exemplo bem claro disso são aquelas músicas de duplo sentido, por exemplo:

Você é tudo para mim,

Eu amo você,

Eu quero sempre estar com você,

Eu te adoro.

Se você perguntar para o compositor, ele vai dizer que compôs a música para Deus. Mas se colocar uma baladinha romântica nela, ela serve muito bem para cantar para o seu namorado ou namorada, porque em momento algum ela fala de Deus, nem ao menos cita o nome de Deus na letra, e música assim, o mundo gospel está cheio.

Jesus é um ser infinitamente superior a nós para que a gente o chame de ‘você’. Chamar um superior de você não é sinônimo de intimidade, é falta de respeito, e é por isso que o chamamos de Senhor, mas se você realmente quer ter intimidade com Ele, chame o de PAI.

Outro exemplo disso são os ritmos, se coloca qualquer letra, põe o nome de Jesus no final e pronto: é música gospel! E os ritmos são os mais diversos: sertanejo, rock’n roll, funk, rap, forró e por aí vai. Tudo bem que, por um lado, utilizar desses ritmos é uma forma de levar a música gospel a vários grupos de pessoas, mas por outro lado, a Bíblia nos manda ser diferentes do mundo, e eu, particularmente, não vejo diferença nenhuma quando escuto um sertanejo cantado por Daniel e Samuel e uma música do Bruno e Marrone, por exemplo. (Me desculpem a sinceridade) mas a música gospel tem que ter personalidade própria, tem que ter uma identidade, assim como a gente escuta um axé e lembra da Claudia Leite, ou escuta um calypso e lembra da Joelma, deveríamos escutar uma música gospel e lembrarmos de Jesus.

Eu já fiz uma observação bem interessante que quero compartilhar com vocês. Vocês já observaram que a música católica tem uma identidade própria? Seja o padre que for ou seja o cantor que for, quando toca na televisão ou no rádio, automaticamente a gente sabe que é uma música católica. Não sei se é o ritmo ou a forma como eles cantam, enfim, não sei. E aí eu te pergunto: Porque com a música gospel também não pode ser assim? O mundo tem que perceber que somos diferentes em tudo, inclusive na música, porque não?! Se a música também é uma forma de dar testemunho, não é verdade?!

Por isso você jovem que faz parte do ministério de louvor, seja criterioso ao escolher as músicas que serão cantadas na sua igreja. E mesmo você que não faz parte do ministério de louvor, se há alguma música cantada em sua igreja que o objetivo não seja a verdadeira adoração a Cristo, converse com o seu pastor ou o dirigente do ministério de louvor.

 Lembre-se que o louvor liberta, restaura, traz alegria, paz, conforto, anuncia a palavra de Deus e acima de tudo, o louvor ganha almas para Cristo. Não escolha a música da moda só porque ela é bonitinha. Escolha música que realmente fale de Jesus, do amor de Jesus por nós, do quanto Ele nos quer como parte do Reino Dele, se ficar na dúvida, converse com o seu pastor, peça para analisar a letra, ele é a melhor pessoa para dizer se tal música convém ou não convém ser cantada dentro da Igreja, que é um templo sagrado e consagrado, lembre-se sempre disso!!!

Bom, por hoje é só, apesar de que esse assunto vai longe se deixar….

Mas em breve eu volto com mais…

Fiquem todos na paz!!!