Ser gente

É simples… aprendi que os aplausos não querem dizer nada. Aprendi que lisonjas não significam nada. Aprendi que status religioso ou de outra natureza é nulidade, vazio. Aprendi enfim, que se eu quero ser discípulo de Jesus de verdade, tenho que me abster dos grandes públicos, da ostentação.

Cansei deste papo do tipo “somos os caras”. Cansei da pretensão doentia da afirmação de poder de que “estamos em um movimento revolucionário”, chega de triunfalismo!

Meus triunfos verdadeiros não são públicos. Envolvem questões simples. Como por exemplo superar meu egoísmo de não querer ajudar minha esposa na cozinha quando a preguiça tenta me seduzir. Minhas guerras não envolvem “batalhas espirituais imaginárias” de principados e potestades e “atos proféticos” mobilizadores. A coisa é mais simples, ou melhor, mais complexa, envolve compreender Cristo, me alimentar de sua carne e sangue, para vencer a tentação da hipocrisia religiosa.

Não, provavelmente, vocês não me verão envolvido nas grandes mobilizações do mundo gospel, tão pouco, sendo chamado de apóstolo, rabino, bispo ou coisa do gênero. Mas, espero que escutem que sou um bom marido, um bom pai e principalmente um bom amigo. Se ao menos nestas coisa eu conseguir vencer a grande batalha, tenha-me por satisfeito. Entretanto, se um dia eu tiver que falar pra multidões a respeito de Cristo ou de qualquer outra coisa, quem estará lá não será um grande pregador ou acadêmico, será um homem que aprendeu a ser simplesmente gente.

Não quero ser tratado como artefato religioso, como parte do cenário religioso. Jesus me chamou e pronto, isto basta, isto é tudo. Nunca tive dias tão alegres em minha vida, não há um dia que não acordo e encaro os desafios diários em oração e ações de graças.Certamente se minha rotina não for um culto, o culto nunca se integrará a minha rotina.

Minha oração é que Deus continue travando minhas pretensões carnais, que Ele continue freando minhas megalomanias, meu egoísmo e narcisismo, todos estes ídolos que meu coração persiste em fabricar. 

Eu não quero ser nada além daquilo que Deus deseja que eu seja.

Por Igor Miguel – Cristão reformado, teólogo, pedagogo e mestre em letras (língua hebraica) pela FFLCH/USP. Educador social e coordenador pedagógico da Organização Multidisciplinar de Capacitação e Voluntariado (OMCV) em BH-MG, membro da AKET (Associação Kuyper de Estudos Transdisciplinares) e membro da Igreja Esperança em Belo Horizonte – MG.

Anúncios

Uma noite fria e solitária

Era 22:00 horas, ele tinha acabado de chegar da faculdade, era uma daquelas noites frias, resolveu então pegar sua blusa de frio e caminhar até uma lanchonete mais próxima afim de comprar algo para saciar sua fome.

Os dois primeiros estabelecimentos a qual havia caminhado estava fechado, então resolveu seguir um pouco mais adiante, neste intervalo a cidade já estava dormindo, havia poucas pessoas nas ruas, e de nada lembrava o movimento que com certeza haveria no outro dia, mesmo assim conseguiu enxergar lá na frente uma lanchonete aberta, apertou o passo e ainda conseguiu pegar o lugar aberto  mesmo estando este já prestes a fechar.

Pediu um sanduiche e  um refrigerante para a viagem e depois de 10 minutos pagou o lanche e pegou seu pedido, já era pouco mais da meia noite, resolveu então pegar um atalho para chegar mais rápido em casa, a rua a qual andava estava totalmente deserta  e iluminada por apenas um pequeno raio de luz vindo de um poste, ventava muito, começou a juntar e soprar as mãos para tentar se esquentar.

De repente, ouviu um barulho saindo de 2 arbustos,  as folhas estavam se mexendo de uma forma que ele sabia que não era o vento que estava causando aquilo, olhou para trás e não havia ninguém, apenas ele.

Resolveu aperta um pouco mais o passo, e justamente nessa hora o que era só um barulho começou a tomar forma de uma pessoa, na verdade um senhor já de idade, ele havia se levantado do chão e começou a andar de um lado para o outro, sem saber que rumo tomava, ao mesmo tempo começava a gesticular palavras em um tom baixo, parecendo mais cochichos ou como se ele estivesse conversando consigo mesmo, suas roupas estava sujas e rasgadas, seus cabelos grandes, estava descalço e pelo jeito, alcoolizado.

Mais uma vez aquele jovem olhou para trás, e não havia ninguém, era apenas ele e aquele morador de rua, logo depois deu uma olhada na mão que estava segurando a sacola, e ficou se questionando se daria ou não o lanche para aquele senhor, depois de alguns minutos pensando sobre isso, apareceu um segurança noturno de bicicleta que foi de encontro ao morador de rua. O jovem vendo aquilo passou direto, afinal, com certeza (era o que ele pensava) aquele homem iria ajuda-lo, assim, como se nada tivesse acontecido, passou direto, sem olhar pra trás, sem prestar ajuda…

Chegou em casa, ligou o computador e enquanto escutava uma música gospel ele saboreava o lanche, e a  imagem do morador de rua que havia encontrado a poucos minutos atrás, já tinha se apagado totalmente de sua mente naquela noite fria e solitária…

 

Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar? Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes! Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não me fostes visitar. E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?
Então o Rei lhes responderá: Em verdade eu vos digo: todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes! –
Mateus 25: 34 – 45

 

Se Somos o Corpo – Casting Crowns

Está cheio o culto hoje
Enquanto ela entra quieta tentando sumir diante dos rostos
As garotas caçoando estão indo mais longe do que imaginam
Mais longe do que imaginam
Coro:
Mas se somos o corpo
Por quê Seus braços não estão alcançando?
Por quê Suas mãos não estão curando?
Por quê Suas palavras não estão ensinando?
E se somos o corpo
Por quê Seus pés não estão indo?
Por quê Seu amor não está mostrando-lhes que há um caminho?
Há um caminho
Um viajante está muito longe do lar
Ele tira seu paletó e quietamente se abaixa na última fileira
O peso do olhar julgador deles
Diz-lhe que suas chances são melhores na estrada
Jesus pagou um preço muito alto
Para nós selecionarmos e escolhermos quem pode vir
E somos o corpo de Cristo
Jesus é o caminho

O Verdadeiro Discipulado

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.  Marcos 16:15

Quando se aceita  a Cristo como o Senhor de nossas vidas, ao mesmo tempo que começamos a ter uma vida diferente,  passamos a ter a missão de apresentar Ele para que outras pessoas também possam experimentar a maravilhosa transformação que Cristo pode fazer em suas vidas.

Afinal acredito que nosso principal objetivo aqui na terra, é sermos pessoas que façam a diferença, que mude realmente o mundo demonstrando o amor de Cristo para as pessoas.

DISCIPULADO-1024x716

No entanto, percebo que, nós, cristãos, estamos acomodados, preferimos:

  • O conforto do nosso lar, do que ir a casa de um amigo que está passando por problemas, e tudo o que mais queria era ouvir uma palavra de conforto, amor e solidariedade;
  • Preferimos a rotina da igreja e esquecemos de sair e pregar a palavra (Pior, muitas vezes, nós não temos nem condição de propagar a palavra, porque não estudamos a Bíblia);
  • Preferimos ir a um “show gospel” ou “encontro”, do que ir a um culto de oração e estudo bíblico;
  • Preferimos pedir bênçãos, vitórias e prosperidade do que pedir perdão pelo nossos pecados e reconhecer nossa incapacidade perante a grandeza de Deus;

Pergunto: De que forma você tem conduzido sua vida cristã?  Se Cristo voltasse hoje, você estaria pronto para apresentar os resultados da missão que Ele deixou para você cumprir?

Assisti esse vídeo recentemente o qual me fez refletir profundamente, deixo aqui para que você também assista e reflita: